Annona emarginata (Schltdl.) H.Rainer

Sinônimo: Rollinia emarginata Schltdl.

Araticunzinho, araticum-mirim, maçaroca

Árvore inerme, caducifólia, heliófila, monoica,  até 10 m de altura e 25 cm de DAP; folhas e casca com aroma característico, derivado de óleos voláteis. Casca externa cinzenta a pardacenta, íntegra ou levemente fissurada; casca interna branco-rosada, fibrosa. Madeira brancacenta, leve. Folhas simples, alternas, glabras ou pubescentes, com 5-8 x 3-4 cm. Inflorescências com 1-3 flores hermafroditas,  amarelas ou bege na antese, com dois anéis de pétalas, sendo as externas carnosas e formando uma estrutura que lembra uma hélice de três pás.  Frutos ovados a globosos, com carpídios pouco salientes; amarelos na maturação, medindo 2,5-3,5 cm de comprimento e diâmetro, formado por carpídios concrescidos. Sementes subglobosas, escuras, duras, com ± 8 x 6 mm, imersas em uma polpa amarelada e adocicada.

É nativa no Uruguai, Argentina, Paraguai, Bolívia, Peru e no Brasil, aonde é encontrada do Rio Grande do Sul até a Bahia, Goiás e Mato Grosso. Ocorre em várias partes do Cerrado, mas é pouco frequente e se restringe às florestas estacionais subcaducifólias e florestas ribeirinhas. É cultivada em quintais de fazendas e às vezes surge espontaneamente em áreas florestais alteradas.

Perde parte da folhagem na estação seca, por um curto período; floresce de setembro a novembro; e apresenta frutos maduros de janeiro a março. As flores são frequentadas por abelhas silvestres e besouros, sendo estes os seus mais prováveis polinizadores. As sementes são dispersas por aves e mamíferos arborícolas e terrestres.

Fornece madeira de baixa densidade e suscetível ao ataque de insetos, porém serve para confeccionar objetos como caixotes, molduras e utensílios domésticos. Os frutos têm sabor agradável e são apreciados pelo homem e por vários membros da fauna silvestre. A casca do tronco e as folhas são usadas na fitoterapia popular, como cicatrizante de feridas e contra disenteria. Nieto (1986), Février (1999) e Colom et al. (2007) extraíram diversos alcaloides dessa casca, alguns com propriedades inseticida, herbicida  e protozoaricida e outros com potenciais efeitos anti-tumorais. A espécie é indicada para formação de pomares de fruteiras não convencionais, vem sendo usada como porta-enxerto para espécies comerciais de anonáceas e deve ser tida como prioritária em ações de recomposição de áreas desmatadas.

Pode ser multiplicada por meio de sementes e de brotos que surgem de raízes superficiais. Para a multiplicação por sementes, sugere-se a adoção dos procedimentos preconizados para Annona coriacea e A. crassiflora. Mesmo quando originários de sementes, os espécimes de maçaroca costumam iniciar a frutificação por volta dos 4 anos de idade.

A. emarginata tem ampla dispersão no Cerrado, mas é pouco frequente e ocorre tanto em áreas preferenciais para atividades agropastoris quanto em áreas de preservação permanente (florestas ribeirinhas). O hábito de cultivá-la em quintais é uma iniciativa que pode  ajudar na conservação da sua diversidade genética.

 

Superfície do ritidoma e cor da caca interna. Coromandel (MG), 04-09-2014

Flores e folhas novas. Coromandel (MG), 27-09-2013

Fruto maduro. Araguari (MG), 22-03-2014

LITERATURA
COLOM, O.A. et al. 2007. Bioactive constiuents from Rollinia emarginata (Annonaceae). Journal Natural Product Research, v.21, n.3, p.24-259.
COSTA, P.N. et al. 2011. Fases da germinação de sementes de Annona emarginata (Schtdl.) H. Rainer em diferentes temperaturas.Revista Brasileira de Fruticultura, v.33, n.1, p.253-260.
FÉVRIER, A. et al. 1999. Acetogenins and other compounds from Rollinia emarginata and their antiprotozoal activities. Planta Medica, n.65, n.1, p.47-49.
MAAS, P.J.M. et al. 1992. Rollinia. Flora Neotropica Monograph, v.57, p.1-188.
MAAS, P.J.M. et al. 2001. Annonaceae from Central-eastern Brazil. Rodriguésia, v.52, p.61-94.
NIETO, N. 1986. Alkaloides from Rollinia emarginata. Journal of Natural Products, v.49, n.4, p.717.
RAINER, H. 2007. Monographic studies in the genus Annona L. (Annonaceae): Inclusion of the genus Rollinia A.St.-Hil. Annalen des Naturhistorischen Museums in Wien : Serie B: für Botanik und Zoologiev.108, p.191-205. 
Site Protection is enabled by using WP Site Protector from Exattosoft.com