Acrocomia aculeata (Jacq.) Lodd. ex Mart.

Macaúba, macaíba, bocaiuva, coco-xodó, coco-babão, coco-de-catarro

Em construção

 

Indivíduos em floresta estacional convertida em pastagem. Niquelândia (GO), 16-08-2013

Tronco (estipe) com as bases das folhas que caíram. Arinos (MG), 24-11-2007

Inflorescência. Arinos (MG), 24-11-2007

Cacho de frutos maduros, Arinos (MG), 24-11-2007

 

LITERATURA
ABREU, A.G. et al. 2012.  The genetic structure and mating system of Acrocomia aculeata (Arecaceae). Genetics and Molecular Biology, v.35, n.1, p.119-121.
ALMEIDA, S.P. et al. 1998. Cerrado: espécies vegetais úteis. Planaltina (DF): EMBRAPA-CPAC, 464 p.
BICALHO, E.M. et al. 2015. Control of macaw palm seed germination by the gibberellin/abscisic acid balance. Plant Biology, v.17, p.990-996.
BICALHO, E.M. et al. 2016. Enzyme activity and reserve mobilization during macaw palm (Acrocomia aculeata) seed germination. Acta Botanica Brasilica, v.30, p.437-444.
BRANDÃO, M.G.L. 2015. Plantas úteis de Minas Gerais e Goiás: na obra dos naturalistas. Belo Horizonte: Museu de História Natural e Jardim Botânico da UFMG, 109 f.
BRITO, A.C. 2013. Biologia reprodutiva de macaúba: floração, polinizadores, frutificação e conservação de pólen. Tese (doutorado), Universidade Federal de Viçosa, 47 p.
CARVALHO, J.K.; SOUZA, A.L. & MACHADO, C.C. 2011. Ecologia, manejo, silvicultura e tecnologia da macaúba. Viçosa: Convênio de Cooperação Técnica SECTES/FAPEMIG, 35 f.
CETEC – FUNDAÇÃO CENTRO TECNOLÓGICO DE MINAS GERAIS. 1983. Produção de combustíveis líquidos a partir de óleos vegetais: Estudo de oleaginosas nativas de Minas Gerias. Belo Horizonte: CETEC, v.1, 152p.
COIMBRA, M.C. & JORGE N. 2012. Fatty acids and bioactive compounds of the pulp and kernels of Brazilian palm species, guariroba, (Syagrus oleracea), jerivá (Syagrus romanzoffiana) and macaúba (Acrocomia aculeata). Journal of Science and Food Agricultural, v.92, n.3, p.679-684.
CONCEIÇÃO, L.D.C.S. et al. 2015. Macaúba. In: LOPES, R. et al. (eds.). Palmeiras do Brasil.  Brasília: Embrapa, p.269-305.
CORADIN, L. & LLERAS, E. 1988. Overview of palm research on domestication in Latin America. In: BALICK, M.J. (Org.). The palm – tree of life: biology, utilization and conservation. ew York: Advances in Economic Botany, v.6, p.175-189.
CORADIN, L. & LLERAS, E. 1987. Palmeiras neotropicais: alternativas para produção de óleos. Cenargen Informa, v.2, n.4, p.4-5.
HENDERSON, A.; GALEANO, G. & BERNAL, R. 1995. Field Guide to the Palms of the Americas. Princeton (USA): Princeton University Press, p.166-167.
HIANE, P.A. et al. 2005. Bocaiuva, Acrocomia aculeata (Jacq.) Lodd., pulp and kernel oils: characterization and fatty acid composition. Brazilian Journal of Food Technology, v.8, n.3, p.256-259.
HIANE, P.A. et al. 2000a. Chemical and nutritional evaluation of kernels of bocaiuva Acrocomia aculeata (Jacq.) Lodd. Ciência e Tecnologia de Alimentos, v.26, n.3, p.683-689.
HIANE, P.A. et al. 2006b. Avaliação nutricional da proteína de amêndoas de bocaiúva, Acrocomia aculeata (Jacq.) Lodd., em ratos Wistar em crescimento. Boletim do Centro de Pesquisa de Processamento de Alimentos, v.24, n.1, p.191-206.
JUNQUEIRA, N.TV. et al. 2016. Acrocomia spp. Macaúba. In: Espécies nativas da flora brasileira de valor econômico atual ou potencial: Plantas para o futuro: Região Centro-Oeste. VIEIRA, R.F. et al. (eds.). Brasília: MMA, p.119-137.
LLERAS, E. 1985. Acrocomia, um gênero com grande potencial. Brasília: Embrapa Recursos Genéticos e Biotecnologia, 5 p. (Noticiário, 1).
LORENZI, G.M.A.C. 2006. Acrocomia aculeata (Lodd.) ex Mart. – Arecaceae: Bases para o extrativismo sustentável. Tese (doutorado), Universidade Federal dol Paraná, 172 p.
LORENZI, H. et al. 2010. Flora brasileira: Arecaceae (Palmeiras). Nova Odessa (SP): Instituto Plantarum, 368 p.
LUIS, Z.G. P. 2016. Acrocomia aculeata. Macaúba. In: VIEIRA, RF. et al. (eds.). Espécies Nativas da Flora Brasileira de Valor Econômico Atual ou Potencial: Plantas para o Futuro – Região Centro-Oeste. Brasília: Ministério do Meio Ambiente, p.899-905.
MARTINS, R.C. & FILGUEIRAS, T.S. 2006. Arecaceae. In: CAVALCANTI, T.B. (org.). Flora do Distrito Federal, Brasil. Brasília: Embrapa Recursos Genéticos e Biotecnologia, v.5, p.45-77
MATOS, E.H.S.F.2012.  Utilização e aplicação de palmeiras para paisagismo. Brasília: Centro de Apoio ao Desenvolvimento Tecnológico, Universidade de Brasília, 23 p.
MIRISOLA-FILHO, L.A.2009.  Cultivo e processamento do coco macaúba para produção de biodiesel. Viçosa: Centro de Produções Técnicas, 336 p.
MOTOIKE, S.Y. et al. 2007. Processo de germinação e produção de sementes de palmeiras do gênero Acrocomia. Portifólio de Técnologias da UFV. Protocolo INPI 014070005335, Patente: PI0703180-7.
MOTTA, P.E.F. et al. 2002. Ocorrência da macaúba em Minas Gerais: relação com atributos climáticos, pedagógicos e vegetacionais. Pesquisa Agropecuária Brasileira, v.37, n.7, p.1023-1031.
MOURA, E.F. et al. 2009. Somatic embryogenesis in macaw palm (Acrocomia aculeata) from zygotic embryos. Scientia Horticulturae, v.119, n.447-454.
RAMOS, M.I.L. et al. 2008. Qualidade nutricional da polpa de bocaiúva Acrocomia aculeata(Jacq.) Lood. Ciência e Tecnologia de Alimentos, v.28, p.90-94.
RIBEIRO, L.M. et al. 2011. Structural evaluations of zygotic embryos and seedlings of the macaw palm (Acrocomia aculeata, Arecaceae) during in vitro germination. Trees,v. 26, n.3, p.851-863.
RODRIGUES, H.S. 2007. Obtenção de ésteres etílicos e metílicos , por reações de transesterificação , a partir do óleo da palmeira Latino Americana macaúba – Acrocomia aculeata. Tese (doutorado), Universidade de São Paulo, 236p.
RODRIGUES-JUNIOR, A.G. et al. 2013. Water uptake and pre-germination treatments in macaw palm (Acrocomia aculeata – Arecaceae) seeds. Journal of Seed Science, v.35, n.1, p.99-105.
RUBIO-NETO, A. 2013. Viabilidade de embriões de macaúba [Acrocomia aculeata (Jacq.) Lood. ex Mart.] e babaçu (Orbignya phalerata Mart.) em função da maturação e secagem dos frutos. Tese (doutorado), Universidade Federal de Goiás, 82p.
SANTOS, H.T.L. 2011. Avaliação da torta de macaúba como insumo para produção de bioetanol. Dissertação (mestrado), Universidade Federal de Juiz de Fora, 85 p.
SCARIOT, A.O.; LLERAS, E. & HAY, J.D. 1991. Reproductive biology of palm Acrocomia aculeata in Central Brazil. Biotropica, v.23, n.1, p.12-22. 1991.
SCARIOT, A.O.; LLERAS, E. & HAY, J.D. 1995. Flowering and fruiting phenologies of the palm Acrocomia aculeata: patterns and consequences. Biotropica, v.27, n.2, p.168-173.
SILVA, D.B. et al. 2001. Frutas do Cerrado. Brasília: Embrapa Informação Tecnológica, 179 p.
SILVA, J.C. 2007. Macaúba – Fonte de matéria-prima para os setores alimentício, energético e industrial. Dissertação (mestrado), Universidade Federal de Viçosa, 63 p.
VIANA, S.A. 2016. Diversidade genética e morfo-anatômica de Acrocomia spp. (Arecaceae). Tese (Pós-graduação em Agricultura Tropical e Subtropical), Instituto Agronômico de Campinas, 196 f.
VIANA, S.A. & CAMPOS-ROCHA, A. 2020. Acrocomia in Flora do Brasil 2020. Jardim Botânico do Rio de Janeiro. Disponível em: <http://reflora.jbrj.gov.br/reflora/floradobrasil/FB15663>. Acesso em: 01 set. 2021.
VIANA, S.A.  et al. 2017a. Biometric characterization of fruits and morphoanatomy of the mesocarp of Acrocomia species (Arecaceae). International Journal of Biology, v.9, n.3, p.78-92.
WANDECK, F.A. & JUSTO P.G. 1982.A macaúba, fonte energética e insumo industrial: sua significação econômica no Brasil. In: VI SIMPÓSIO SOBRE O CERRADO, SAVANAS. Brasília. Anais … Planaltina (DF): EMBRAPA-CPAC, p.541-577.
Site Protection is enabled by using WP Site Protector from Exattosoft.com