Syagrus oleracea (Mart.) Becc.

Guariroba, guairoba, gueiroba, gueroba

Texto em construção

Indivíduos em pastagem formada em floresta estacional subcaducifólia. Ouro Verde (GO), 06-07-2005

Parte do tronco (estipe) de um indivíduo situado em pastagem. Tupaciguara (MG), 15-12-2017

Inflorescência (espata e espádice). Tupaciguara (MG), 08-10-2016

Frutos maduros. Tupaciguara (MG), 15-12-2017

 

LITERATURA
 AGUIAR J.L.P. & ALMEIDA S.P.A. 2000. Gueroba (Syagrus oleracea Becc.) nas comunidades rurais II: sistema de produção e avaliação econômica. Planaltina (DF): Embrapa Cerrados, 47 p.
ALMEIDA, S.P. et al. 2000. A gueroba (Syagrus oleracea Becc.) nas comunidades rurais I: aproveitamento agroindustrial. Planaltina (DF): Embrapa Cerrados, 37 p. (Documentos, n. 23).
BORA, P.S. & MOREIRA, R.V.R. 2003. Catolé palm (Syagrus oleracea Mart.) fruits: fatty and amino acids composition. Grasas y Aceites, v.54, n.2, p.145-150.
BOVI, M.L.A. & BORTOLETTO, N. 1998. Palmito – Gariroba (Syagrus oleracea). In: INSTITUTO AGRONÔMICO DE CAMPINAS. Instruções agrícolas para as principais culturas econômicas. Campinas: Instituto Agronômico de Campinas, 6ª ed., p.258-259. (Boletim, 200).
CARNEIRO, C.E.A; ROLIM, H.V.M. & FERNANDES, K.F. 2003. Procedimento eficiente na inibição do escurecimento de guariroba (Syagrus oleracea, Becc) durante o processamento e armazenamento. Acta Scientiarum. Agronomy, v.25, n.2, p.253-258.
CARRIJO, N.S. 2011. Germinação e caracterização física e morfológica de frutos e sementes de Syagrus oleraceae Becc. Dissertação (mestrado). Universidade Federal de Goiás, 85 p.
COIMBRA, M.C. & JORGE N. 2012. Fatty acids and bioactive compounds of the pulp and kernels of Brazilian palm species, guariroba, (Syagrus oleracea), jerivá (Syagrus romanzoffiana) and macaúba (Acrocomia aculeata). Journal of Science and Food Agricultural, v.92, n.3, p.679-684
DIAS, J.E. 2012. Cadeia produtiva do óleo de Gueroba (Syagrus oleracea BECC.). Geração de renda para agricultores familiares e promoção da agrobiodiversidade, Buriti de Goiás (GO). Dissertação (mestrado). Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho. Botucatu, 148 p.
DINIZ, J.A. & SÁ, L.F. 1995. A cultura da guariroba. Goiânia: EMATER-GO, 16 p. (Boletim Técnico, n. 3).
GARCIA, A.H.; VIEIRA, J.R. & COSTA, M.G.C. 1980. Contribuição ao conhecimento da biologia do Pachynerus nucleorum Fabr.,1972 (Bruchidae-Coleoptera) em Syagrus oleraceae Mart. (Palmae). Anais da Escola de Agronomia e Veterinária, Universidade Federal de Goiás, v.1, n.10, p.4-9.
HENDERSON, A.; GALEANO, G. & BERNAL. R. 1995. Field Guide to the Palms of the Americas. Princeton USA): Princeton University Press, 352 p.
 HIANE, P.A. et al. 2011. Caracterização química do palmito guariroba in natura e congelado. Ciência Rural, v.41, n.6, p.1082-1087.
 JAIME, N.G.; MOURA, C.J. & PAULA, Y.O. 2007. Aceitação do palmito de guariroba [Syagrus oleracea (Mart.) Becc.] em conservas sob diferentes ácidos orgânicos. Pesquisa Agropecuária Tropical, v.37, n.4, p.257-266.
LORENZI, H. et al. 2010. Flora Brasileira: Arecaceae (Palmeiras). Nova Odessa (SP): Instituto Plantarum, 384 p.
MARTINS, R.C. & FILGUEIRAS, T.S. 2006. Arecaceae. In: CAVALCANTI, T.B. (org.). Flora do Distrito Federal, Brasil. Brasília: Embrapa Recursos Genéticos e Biotecnologia, v.5, p.45-77.
MELO, B. et al. 2001. Diferentes antioxidantes no controle da oxidação, germinação e desenvolvimento das plântulas na cultura in vitro de embriões da guarirobeira [Syagrus oleracea (Mart..) Becc.]. Ciência e Agrotecnologia, v.25, n.6, p.1301-1306.
MELO, J.T. 2003. Cultivo de guariroba (Syagrus oleracea Becc.)em sistemas consorciados com espécies florestais no cerrado. Planaltina (DF): Embrapa Cerrados, 2 p. (Comunicado Técnico, n. 97).NOBILIK, L.R. 2017. A revision of the genus Syagrus (Arecaceae). Phylotaxa, v.294, n.1,  p.1-262.
NOBLICK, L.R. 1996. Syagrus. The Palm Journal, v. 126, p.12-46.
NOBLICK, L.R. 2017. A revision of the genus Syagrus (Arecaceae). Phylotaxa, v.294, n.1,  p.1-262.
NOZAKI, V.T. 2012. Potencial nutricional da amêndoa e da polpa da guarirova, Syagrus oleracea (Mart.) Becc. Tese (doutorado), Universidade Federal de Mato Grosso do Sul, 100 p.
NUNES, H.F. 2010.  Estudo fenológico e morfológico da palmeira guariroba (Syagrus oleracea (Mart.) Becc.). Dissertação (mestrado), Universidade Federal de Goiás, 64 f.
PINTO, J.F.N. et al. 2012. Efeito de diferentes tratamentos na superação da dormência de sementes da palmeira Syagrus olereacea Becc. Cerne, v.18, n.3, p.487-493.
REIS, G.M. et al. 2006. Pharmacological study of Syagrus oleracea (Martius) Beccari and Mauritia vinifera Martius fruit extract. Revista Brasileira de Plantas Medicinais, v.8, n.especial, p.144-150.
REIS, E.F.; PINTO, J.F.N. & FALEIRO, F.G. 2016. Syagrus oleracea. Gueroba. In: VIEIRA, R.F. et al. (eds.). Espécies nativas da flora brasileira de valor econômico atual ou potencial: Plantas para o futuro: Região Centro-Oeste . Brasília: Ministério do Meio Ambiente, p.332-345.
 SANTELLI, P. 2005. Fisiologia Pós-colheita de frutos das palmeiras Syagrus oleracea (Mart.) Becc. e Mauritia vinifera Mart. Dissertação (mestrado), Universidade de Brasília, 86 f.
SHIMOKOMAKI, M. et al. 1975. Estudo comparativo entre palmitos de sabor doce (juçara – Euterpe  edulis Mart. E açaí – Euterpe oleracea Mart. ) e de sabor amargo (guariroba – Syagrus oleracea Becc.). Coletânea do Instituto de Tecnologia de Alimentos, v.6, p.69 – 80.
SILVEIRA, C.S. et al. 2005. Atividade antimicrobiana dos frutos de Syagrus oleracea e Mauritia vinífera. Revista Brasileira de Farmacognosia, v.15, n.2, p.143-148.
SOARES, K.P. Syagrus in Flora do Brasil 2020 em construção. Jardim Botânico do Rio de Janeiro. Disponível em: <http://reflora.jbrj.gov.br/reflora/floradobrasil/FB15734>. Acesso em: 20 out. 2020.
Site Protection is enabled by using WP Site Protector from Exattosoft.com