Ocotea spixiana (Nees) Mez

Canela, canela-preta

Em construção

Árvore em cerradão destruído pelo homem. Cascalho Rico (MG), 09-07-2014

Superfície do ritidoma. Cascalho Rico (MG), 08-04-2016

Inflorescência. Cascalho Rico (MG), 08-04-2016

Frutos imaturos e maduros. Cascalho Rico (MG), 13-08-2016

LITERATURA
BAITELLO, J.P. 2003. Lauraceae. In: LONGHI-WAGNER, H.M. et al. (eds.). Flora Fanerogâmica de São Paulo, v.3, n.149-223.
DOMINGOS, D.Q. 2016 . O gênero Ocotea Aubl. (Lauraceae) na região Centro-Oeste do Brasil. Dissertação (mestrado), Universidade Federal de Lavras. 105 p.
GIANNERINI, A.C. et al. 2007. O Gênero Ocotea Aubl. (Lauraceae) no ParqueNacional do Itatiaia, Brasil. Pesquisas, Botânica, n.58, p.283-330.
LORENZI, H. 1998. Árvores brasileiras: manual de identificação e cultivo de plantas arbóreas nativas do Brasil. Nova Odessa (SP): Instituto Plantarum, v.2, 2a  ed., p.133.
MORAES, P.L.R. D. 2005. Sinopse das Lauráceas nos Estados de Goiás e Tocantins, Brasil. Biota Neotropica, v.5, n.2, p.1-18.
MORAES, P.L.R. & OLIVEIRA, J.M.B. 2007. Lauraceae Juss. In: RIZZO, J. A. (Coord.). Flora dos estados de Goiás e Tocantins: volume 33. Goiânia: PRPPG. p.1-154.
Ocotea in Flora do Brasil 2020 em construção. Jardim Botânico do Rio de Janeiro. Disponível em: <http://reflora.jbrj.gov.br/reflora/floradobrasil/FB30205>. Acesso em: 21 Fev. 2020.
ROHWER, J.G. 1986. Prodromus einer Monographie der Gattung Ocotea Aubl. (Lauraceae), sensu lato. Mitteilungen aus dem Institut fur Allgemeine Botanik Hamburg, v.20, n. 3, p.1-278.
 SILVA JÚNIOR, M.C. & PEREIRA, B.A.S. 2009. + 100 Árvores do Cerrado: Matas de Galeria: Guia de Campo. Brasília: Rede de Sementes do Cerrado, p.82-83.
Site Protection is enabled by using WP Site Protector from Exattosoft.com