Hirtella racemosa Lam. var. racemosa (Willd. ex Roem. & Schult.) Prance

Hirtella racemosa Lam. var. hexandra (Willd. ex Roem. et Schult.) Prance

Em construção

Descrição dendrológica: Árvore heliófila, subcaducifólia, até 6m de altura; ocasionalmente arbusto. Râmulos cinzentos, glabros a pubérulos. Folhas pilosas quando jovens; estípulas persistentes, lineares, com 2-5mm; pecíolo 1-3mm de compr.; lâmina discolor, coriácea, elíptica a oblonga, glabra na face superior, glabra a pubérula na inferior, com 3,5-16,5 x 1,5-8cm; base arredondada a cuneada; ápice agudo a acuminado; nervação reticulada; nervuras secundárias salientes na inferior. Inflorescências racemiformes, terminais e axilares, pubérula ou glabrescente, com 4-7cm de compr.; brácteas e bractéolas persistentes, com 1-3mm de compr. e com glândulas sésseis próximo à base ou com apenas uma glândula no ápice. Flores com 5-6mm de compr., em receptáculo campanuliforme, quase glabro; pedicelos 4-11mm de compr.; sépalas agudas, pubérulas; pétalas rosadas a alvacentas, reflexas; estames 5-7, lilases ou alvos; ovário piloso, inserido na margem do disco. Frutos elipsóides, glabros, atropurpúreos e quando maduros.

Distribuição geográfica e habitat: H. racemosa tem distribuição muito ampla, ocorrendo do México ao sul do Brasil, em várias tipologias florestais (PRANCE 1972). H. racemosa var. hexandra é citada por Prance e Sothers (2012) para as unidades federativas das regiões Norte e Centro-Oeste e para os estados do Maranhão, Ceará, Paraíba, Pernambuco, Sergipe e Bahia. Essa variedade apresenta-se como um táxon raro na Região Geoeconômica de Brasília, tendo, até o presente momento, sido amostrada apenas duas vezes nessa região, em florestas-galerias.

 

Fenologia: Coletada com folhas e flores no mês de agosto.

 

Biologia reprodutiva: As flores, como nas demais espécies de Hirtella aqui abordadas, devem ser frequentadas principalmente por abelhas e os frutos devem ser dispersos por pássaros.

 

Utilidades: 1) Madeira: deve servir para construção de cercas e de outras obras de pequeno porte no meio rural, bem como para lenha. 2) Flores: fonte de recursos para insetos, notadamente abelhas. 4) Frutos: alimento para a fauna, principalmente pássaros. 5) Espécie: recomposição de áreas desmatadas em florestas-galerias.

 

Propagação e cultivo: Apanhar frutos recém-amadurecidos, remover a polpa que os envolvem e romper cuidadosamente o endocarpo com lâmina afiada. Colocar as sementes para germinar em recipientes de 25 x 15cm, contendo terra argilo-arenosa misturada com esterco curtido na proporção de 2:1. Manter os recipientes sob sombreamento parcial e o substrato sempre úmido. Plantar as mudas em ambientes similares aos de ocorrência da espécie.

 

Conservação: Hirtella racemosa var. hexandra ocorre em áreas de preservação permanente (florestas-galerias), mas foi encontrada em apenas duas localidades da Região Geoeconômica de Brasília e ainda não foi registrada em unidades de conservação de proteção integral nessa região.

 

Comentário: Prance (1989) reconheceu três variedades em H. racemosa e mencionou apenas a variedade hexandra para a região central do Brasil. Esse autor descreveu essa variedade como um táxon que, em comparação com as duas outras variedades, apresenta folhas maiores, de base arredondada a cuneada, com nervação reticulada; pedicelos mais longos; e bractéolas com glândulas pequenas, planas ou com apenas uma glândula apical.

 

LITERATURA

Prance (1972, 1979 e 1989), Prance e Sothers (2012).

Site Protection is enabled by using WP Site Protector from Exattosoft.com