Aspidosperma rizzoanum Scudeler & A.C.D. Castello

Perobinha

(Texto baseado no trabalho de Scudeler et al., 2018)

Árvore inerme, latescente (látex branco), caducifólia, heliófila, monoica, até 5 m de altura. Casca espessa; ritidoma bege a cinzento, sulcado, consistente. Râmulos roliços, cinzentos, glabrescentes a glabros; catafilos diminutos, deltoides, pilosos. Folhas simples, alternas, agrupadas no ápice dos râmulos; lâmina foliar cartácea a subcoriácea, glabra; elíptica, obovada ou ovada; de 4-9 x 3,-4,5 cm; pecíolo achatado, de 10-18 mm de comprimento Inflorescência corimbiforme, axilar, glabrescente, de 3-4,5 cm de comprimento. Flores diclamídeas, pentâmeras, actinomorfas, andróginas, de 6-7 mm de comprimento; pedicelo de 9 mm de comprimento; cálice curto, glabro, com lobos iguais; corola bege, tubulosa, de 5 mm de comprimento, com lobos eretos, triangulares. que o tubo. Frutos solitários ou em dupla, achatados, circulares a piriformes, secos, deiscentes, lenticelados, polispermos, de 3,8-4,3  x 2-2,6 cm, com costas paralelas, salientes. Semente ovada, circundada por ala membranácea, de 3,2 x 2,5 cm.

Espécie descrita recentemente, com registros de ocorrência apenas na Chapada dos Veadeiros (Goiás) e no município de Arraias (Tocantins). Ocorre, na maioria das vezes, em cerrados rupestres.

Encontrada com flores em outubro e com frutos de março a maio.

Categorizada por Scudeler et al. (2018) como espécie ameaçada e vulnerável, com base nos critérios da IUCN (2016).

Distinção da espécie

Aspidosperma rizzoanum se caracteriza por apresentar folhas glabrescentes, com face abaxial acinzentada e folículos com mais de uma costa paralela proeminente.

Árvore em cerrado rupestre. Alto Paraíso de Goiás (GO), 12-10-2018. Autor: Eber M. Alcântara

Superfície do ritidoma. Alto Paraíso de Goiás (GO), 12-10-2018. Autor: Eber M. Alcântara

Folhas. Alto Paraíso de Goiás (GO), 12-10-2018. Autor: Eber M. Alcântara

LITERATURA
Aspidosperma in Flora do Brasil 2020 em construção. Jardim Botânico do Rio de Janeiro.Disponível em: <http://reflora.jbrj.gov.br/reflora/floradobrasil/FB4524>. Acessado em: 28 Maio 2018.
SCUDELER, A.L. etal. 2018. A new species of Aspidosperma (Apocynaceae) from the Brazilian Cerrado. Biotaxa, v.333, n.1, p.117-123.
Site Protection is enabled by using WP Site Protector from Exattosoft.com